sexta-feira, 20 de setembro de 2019

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

agradecer a luz bonita das minhas coisas simples *

Sempre fui a maior fã de pequenos-almoços. Acordo sempre com fome e adoro preparar uma mesa bonita cheia de coisas boas. Mesmo quando tomo o pequeno-almoço sozinha, gosto de cuidar de mim nos mais pequenos detalhes. Nos dias em que sei que vou ter pouco tempo de manhã, acordo quinze minutos mais cedo, deixo tudo organizado de véspera (a mesa e todas as coisas que podem ficar logo prontas) e incluo este ritual na minha rotina de mindfulness.
Levo muito a sério a prática do equilíbrio na minha vida. Esforço-me por incutir bons hábitos na minha família, no nosso dia-a-dia, e acima de tudo na forma como olhamos para a vida, para tudo o que ela nos tira e nos dá.
Acredito que muito do que somos e da energia que temos começa à mesa. E é por isso que não abro mão dos nove alimentos que fazem a diferença numa vida que se quer simples e saudável: aveia, azeite, ovos, fruta (muito abacate e frutos vermelhos), iogurte natural magro, pão integral, frutos secos e sementes, proteína em pó.
Nos últimos dias, que têm sido de dar o tudo-por-tudo até às férias, repeti duas combinações que me salvam sempre em semanas (quase) caóticas:

#1 – aveia + sementes + iogurte
Deixo pronto de véspera. Num frasco de vidro junto 2 colheres de sopa de aveia, uma chávena de bebida de arroz, 1 colher de sopa de chia e 1 colher de supa da super blend feminina da Mafalda Pinto Leite. De manhã misturo a esta «mousse fria» uma mão cheia de fruta fresca e muita canela.

#2 – pão integral + frutos secos + iogurte
Faço manteiga de amendoim em casa (300g de amendoins (sem casca) torrados no forno + 1 colher de chá de sal + 1 colher de óleo de côco – trituro bem até ficar uma pasta macia). Barro duas fatias de pão e acompanho com 1 chá de erva príncipe.

fo-co*


quarta-feira, 18 de setembro de 2019

eu acredito *

todos os pontos se ligam. não há nada que nos aconteça por acaso. não há nada que – mais cedo ou mais tarde – não se explique. neste dar e tirar da vida, é preciso estar atento ao que pensamos, ao que damos e ao que perdoamos. nenhuma acção ou escolha passa despercebida. e se é amor, luz e paz que queremos receber, é do lado de cá que essa boa energia tem de partir. 
há momentos nas nossas vidas em que podemos esperar, guardar para depois. há outros em que agora tem mais força do que nunca.  

abraça-te todos os dias *


terça-feira, 17 de setembro de 2019

bonito, bonito, bonito *


zimbralinho, porto santo, setembro 2019

certezas no incerto da vida *

todos precisamos de alguém na vida que nos olhe nos olhos, nos segure nos ombros, nos dê um beijo na testa e nos diga, com a maior certeza do mundo: 
não importa o que és ou como és. não importa que nome têm os teus erros, em que morada vivem os teus medos, quantas vezes os teus olhos se enchem de mar, se são muros ou montanhas que te assustam. eu, vou estar sempre aqui, ao teu lado.

sobre foco *


segunda-feira, 16 de setembro de 2019

gostamos de fotografar a vida *

nos caminhos por onde nos leva, nos lugares que nos fazem bem, nas pessoas que guardamos dentro, nos abraços que nos ligam, nos sorrisos que nos dão certezas, e na fé de ter no amor, o que se vive sem filtros nem edição, a nossa maior religião.  -
/
| porto santo | verão 2019

re. *


recomeçar a partir das janelas que abro para a vida. arrumar o-lado-de-dentro e alinhar o foco. recentrar, refocar, repensar. refazer algumas coisas. voltar a olhar para elas com mais distância e com mais profundidade. nem sempre podemos fazer o que nos apetece, mas sim o que é preciso. e há fases em que é preciso parar e não pedir nada, só agradecer. e confirmar que - do lado de dentro - está tudo certo.  

vamos, setembro!


domingo, 15 de setembro de 2019

todos os domingos *


só o amor *

Em tempos difíceis, acalmam-me as coisas simples. Um abraço do meu filho e um "adoro-te" mamã. O meu livro na mesa-de-cabeceira, com uma história lá dentro que nada nem ninguém pode mudar. O silêncio cúmplice do meu cão e a incondicional doçura no seu olhar pousado em mim. O serão no sofá, agarrada ao meu homem. Um SMS reconfortante de uma amiga. Um chá quente ao deitar. O vento frio a bater-me na cara. O cheiro do mar. A minha irmã a dizer-me que está tudo bem.
Em tempos difíceis, são só as pessoas que importam. As que nos olham nos olhos e nos garantem que tudo irá passar. As que fazem o pino e o salto encarpado por nós. As que nos colam os cacos sempre que quebramos. As que nos seguram firme e nos dão colo quando desesperamos.
Em tempos difíceis, só o amor salva. E em dias em que não temos mais certezas de nada, que nos lembremos sempre desta. 

tempo para nós *


sábado, 14 de setembro de 2019

sobre agradecer *


*a luz bonita das minhas coisas simples.

tão bonito que podia ser sobre nós *


«Não é todos os dias que se tem a plena consciência de se estar a ser feliz. Nota como, na maioria das vezes, é apenas na retrospectiva que a percebes, a felicidade. Não, isto não acontece a todos nem acontece a toda a gente. É preciso ter sorte. E se esta felicidade for exagero – o que não é, quando nos servimos de palavras? – que se diga somente que soube-me bem. Que fazes-me bem. Que por causa do teu riso é possível voltar de novo a respirar entre a rotina cansada dos dias. Como um fôlego de ar. Que rezo para que o fosso - pejorativo, admito - não seja nunca obra nossa.»

| créditos do texto: estrela da marisa  | 

carregar no botão do ''slow'' *


sexta-feira, 13 de setembro de 2019

há lugares que só nos fazem bem *


os dois dias mais importantes da vida *

Há dias em que acordas com espírito de sexta-feira, humor de sábado, paz de domingo, com a sensação boa de acerto com a vida, de sorte nas escolhas, de «insiste, persiste e não desiste.» Há dias em que acordas com a certeza absoluta de que o melhor que podes tomar para ser feliz é uma decisão, e agir de acordo com ela. Dias em que o imenso caminho que tens pela frente e as pessoas que te vão sempre acompanhar são o alento e a força que precisas, dias que te bastam pela vida inteira. Há dias em que é nas diferenças dos outros que te conheces melhor e que sabes que todos os talvez, todas as reticências, todas as aspas perdem força perante a certeza boa de que quando dás o melhor de ti, a vida devolve-te na mesma proporção. Há dias em que a tua força impulsionadora és tu, a gratidão que sentes pela lição de «retorno» e a certeza de que não vale a pena complicar onde a vida se simplifica.
_________ 
* - «o dia em que nascemos, e o dia em que descobrimos para que é que nascemos.» 

planos para todos os dias *


quinta-feira, 12 de setembro de 2019

tudo *


(re)ler para não esquecer *

seguir o instinto, o sexto sentido, a sabedoria interior que todos temos e que nos diz – sempre – o que está certo e o que fazer. não ignorar aquela voz interior que fala connosco, que nos aponta caminhos, que nos faz sentir bem ou mal com esta ou com aquela pessoa, nesta ou naquela situação. não tirar o som ao que [cá dentro] funciona como o nosso sistema de navegação interno e que nunca se deve ignorar, mandar calar, racionalizar, arranjar desculpas para o afastar. todos os dias há tantas novas oportunidades para ser feliz. todos os dias é-nos dado tempo para recuperar, tempo para parar, tempo para respirar e [quando nos sentirmos mais fortes] tempo para recomeçar. aprendi que há uma lição importante que a vida acaba sempre por trazer ao nosso caminho: por muita dor que possamos ter sentido, todos nos voltamos a (re)erguer.

todos os dias, em todos os lugares *