terça-feira, 14 de agosto de 2018

sobre tudo aquilo em que acredito*


«Liberdade não é para todos. Ser livre implica não saber o dia de amanhã. Aprender a não ter planos. A ser-se grato com o que se tem. Aqui e agora. A não se deixar consumir com expectativas de futuro. A respeitar a liberdade do outro. Liberdade não é para todos. É conviver com o medo da incerteza e mesmo assim seguir em frente com coragem. É levar na mala o risco constante e nem por isso escolher os caminhos mais fáceis. É enfrentar as noites em confiança. Mesmo quando a segurança não bate à porta. É optar-se pela simplicidade. Pelo pouco. E viver os dias com muito, muito retorno. É aprender a seguir confiando para onde a vida nos leva e sair para o mundo inspirando as certezas que não se têm. É por isso que liberdade não é para todos. Porque se fosse. O mundo seria todo dos audazes que se comprometeriam a viver vidas soltas e livres. Com menos impacto ambiental, mais verdade, mais usufruto e mais propósito.» 


porque Pedro rima com Sofia*





segunda-feira, 13 de agosto de 2018

das minhas imagens com vida*


* as que dizem tudo sobre os melhores dias do nosso verão

descomplicar em 3 parágrafos*


#1. aqui e agora.  estar presente e trabalhar o foco para permanecer no momento que estamos a viver. respirar lentamente e, ao expirar, deixar ir todas as coisas que nos preocupam. manter um post-it colado no espelho da nossa vida: a perfeição mata a diversão. nada (e ninguém) é perfeito. um grande viva! à vida real, às pessoas reais, à comida real, ao amor real, a tudo o que nos traz alegria, mas também dias virados do avesso, e dias tristes, e dias de ansiedade, e dias sem rumo e tudo o que uma boa viagem-de-vida tem dentro. abraçar a imperfeição e ser feliz no hoje.

#2. abrir espaço no peito para o amor próprio. acreditar mais em nós mesmos. enfrentar medos com um abraço a nós mesmos, com a coragem de sorrir todos os dias para nós mesmos, com a força que vem da alegria de viver esta vida que é a nossa, com tudo o que tem de bom e de mau. amar a pessoa que somos, cuidar de nós, protegermo-nos, cercarmo-nos de pessoas que nos elevam e encorajam. confiar nelas: não é por acaso que as vida as trouxe até nós.

#3. resiliência, uma forma de estar na vida. é muitas vezes nos momentos mais sombrios que se revelam as nossas maiores forças. as pessoas resilientes sabem que só o são por causa dos grandes desafios que tiveram de enfrentar. e sabem que o seu foco nunca poderia estar na forma como evitavam cair, mas sim nas soluções que foram reinventando para se levantarem, uma e outra vez. ninguém sabe o que é a coragem se só tiver vivido coisas boas. e ninguém sabe o quanto é amado e querido até ao dia em que perde o receio de pedir ajuda, de pedir o apoio das pessoas da sua vida.

lema de vida*




sexta-feira, 10 de agosto de 2018

parar & respirar*


desta semana*


#1. aproveitar cada segundo dos meus pais em lisboa. dar-lhes o meu tempo, o meu amor, a minha gratidão. celebrar o aniversário da minha mãe num dos nossos lugares preferidos no mundo: porto covo. fazer do dia uma festa, criar memórias felizes, agradecer a saúde e o bom humor que os meus pais têm sempre. equilibrar trabalho com praia num horário que é o meu favorito desde sempre: 8h-16h. desligar do mundo online e mergulhar no mar. abraçá-los com força, dizer o quanto os amo, ser grata pela aprendizagem de saber limpar a minha mente.


#2. ter mais tempo para mim. descansar e digerir.  começar cada dia com um pensamento positivo. confiar na minha lista de suficiente. eliminar os ‘’devia’’ e os ‘’tenho de’’. não me deixar limitar pelo que outros pensam. sintonizar o meu sisu interior com o regresso ao ioga ( e voltar a sentir os enormes benefícios de praticar uma respiração uniforme e activar o meu sistema parassimpático ). definir listas de tarefas realistas e alcançáveis. atribuir o autocuidado à forma como falo comigo mesma no meio das minhas rotinas diárias. libertar espaço na mente para aceitar sem reservas todas as mudanças que chegam e que eu preciso e mereço viver.


#3. planear  o calendário exigente de setembro. manter o foco nos objectivos, verbalizar as expectativas e reservar espaço para o inesperado. começar a  construir a expansão da nossa marca ( porto e rio de janeiro ), preparar entrevistas para aumentar a equipa, sentir aquele frio na barriga que a responsabilidade traz, agradecer, agradecer, agradecer. sou capaz. somos capazes. tudo está certo.

p.s:





quinta-feira, 9 de agosto de 2018

o que se ouve, o que se lê & o que se vê por aqui*


«às vezes a gente caminha na vida buscando um abraço quentinho para terminar a noite depois de um dia inteiro que parecia não ter fim. a gente só quer alguém pra morar junto, agarrar, se esconder feito ninho. dormir em concha, em paz. alguém que venha e transforme a nossa agitação em calmaria. alguém que coloque a insônia para dormir contando carneirinhos. que alise nosso cabelo e assista a nossa respiração.» 
| matheus rocha |

^^ 
música


* livros

* séries & podcasts



» créditos imagem | jo & so

não deixes ( o que de verdade importa ) para depois*




quarta-feira, 8 de agosto de 2018

do verbo agradecer*


a luz bonita das ( minhas ) coisas simples.

sobre tudo aquilo em que acredito*


«O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma e tranquila. Em silêncio. Sem dar conselhos. Sem que digam: 'se eu fosse você'. A gente ama não é a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito. A fala só é bonita quando ela nasce de uma longa e silenciosa escuta. É na escuta que o amor começa. E é na não-escuta que ele termina. Não aprendi isso nos livros. Aprendi prestando atenção.»
| rubem alves | 

és suficiente. exactamente como és*



terça-feira, 7 de agosto de 2018

verão, verão. a estação do ( meu ) coração*


gosto muito*


gosto de encontrar em cada dia uma razão para ser feliz. todos os dias. sempre dentro de mim. sempre no lugar mais profundo e mais sagrado de mim. sempre na força e na positividade do meu poder interior.  sempre no ponto cardeal onde tudo começa e onde tudo termina: o amor. sempre no equilíbrio entre o meu lado sombra – que abraço e não nego (ou renego) – e o meu lado luz, que cuido, protejo e depois partilho. gosto de gostar. gosto de gostar de mim. gosto de gostar dos outros e faço-o muito bem porque gosto primeiro de mim. e gosto desta simplicidade que vou conquistando com foco, com ternura, com longos abraços a mim mesma e às minhas imperfeições. gosto ( muito ) das coisas simples, das pessoas simples, de tudo o que é de verdade, natural, cru, genuíno, da terra, sem filtros, sem edição. gosto de dizer o que sinto sem ter de falar, numa linguagem que só os de amor entendem, num silêncio que une os que vivem na mesma sintonia, numa forma de estar que é, cada vez mais, a minha forma de ser. gosto mais de gestos do que de palavras ( as que são tão fáceis de dar e tão fáceis de (re)tirar ). gosto deste sentido apaixonado com que vivo a vida. e eu sempre gostei dela, da vida. e eu sempre fui apaixonada por ela, a minha vida. mas a idade, as coisas e as pessoas, deram-me esta consciência mais profunda e séria do valor que tem o namoro doce, lento e sem urgências que quero ter com a vida, com os dias que a vida me traz. repito todos os dias o quanto gosto de gostar. sem ses nem mas. apenas e só com tudo o que é, com tudo o que sou.

regrinha básica para ser ( mesmo ) feliz*


segunda-feira, 6 de agosto de 2018

parar e respirar*


o que de verdade importa [ um pequeno lembrete ]*


um chão para pisar e um tecto para onde voltar. saúde para trabalhar e uma família para amar. uma mão cheia de esperança para nunca deixar de acreditar e amigos de A grande que sabem [sempre] como me abraçar. 
o pão de cada dia e a fé que me alivia. um ‘’gosto muito de ti’’ todos os dias, e um ‘’não te preocupes que eu estou sempre aqui’’ nos dias certos. 
às vezes, só às vezes, tens a sorte de ver a vida toda passar à tua frente. e percebes que és tão feliz com o ‘’pouco’’ que tens. olha para cima e agradece. agradece sempre. porque há quem desse tudo para ter (e ser) esse teu ‘’pouco’’.

começa bem a semana*




sexta-feira, 3 de agosto de 2018

andamos vaidosos. e felizes. e agradecidos.




desta semana*


#1. dias de verão a sério. a entrada em grande de Agosto que é sempre de se levar a sério. noite boas, céu estrelado, conversas até tarde na varanda, coisas frescas, muita fruta, muita água, finais de dias muito bons no nosso mês preferido para trabalhar em Lisboa. cidade calma, trabalho que flui, tempo para preparar um setembro bonito,  tempo para repensar planos, reajustar rotas, recomeçar coisas e lugares.

#2. entrámos na semana ainda com a leveza de São Pedro do Sul colada à pele. com a serenidade e a luz de uns dias tão bonitos como as pessoas que nos acolheram e que nos mimaram. adorámos tudo, tudo, tudo. somos muito agradecidos pela sorte que temos. [ a ti em especial, por seres a minha Mar ]

#3. depois o trabalho. e esta alegria indízivel de fazer o que gostamos. e a presença constante da motivação mais duradoura que existe: a que nasce cá dentro, a que se move pela paixão, a que só se faz depender de si mesma para correr atrás de tudo o que quer e acredita que merece (ser e) ter. 

#4. no final da semana ainda houve tempo para fazer nascer para o mundo a nossa casa nova. o lugar bonito que é a extensão do que levo dentro, do que quero dar ao mundo, do caminho que vou continuar a percorrer, das pessoas que escolhi (e que me escolheram) para seguir em frente. ainda é um work in progress. e as próximas semanas deste quente mês de agosto trazem – como pedi com o coração ao Universo – uma mão cheia de deliciosas e sumarentas promessas de sol.
[ que assim seja. ]

lição da semana ( e da vida )*




quinta-feira, 2 de agosto de 2018

parar e respirar*


a minha casa nova*


gosto muito de mudanças, de mudar, de renovar a vida e de celebrar este meu ímpeto de recomeçar. fico profundamente feliz – e agradecida - quando a vida me apresenta pessoas na mesma vibração, quando encontro do outro lado o eco positivo das minhas ideias, quando duas parcelas se unem numa soma que gera um resultado que supera as melhores expectativas. há muito que queria fazer esta mudança. há muito que queria chegar a este lugar. depois de umas quantas tentativas e erros (que agradeço todos os dias), depois de aprender que muitas e muitas vezes é só a falhar que arriscamos acertar, a Newww entrou na minha vida. a a talentosa Cristina e a sua inovadora Newww chegaram e acertaram em cheio em tudo o que queria, em tudo o que planeei para esta minha marca tão querida, em tudo o que eu ainda não sabia que dava sentido a este todo. nos próximos dias partilharei mais coisas boas sobre esta parceria bonita. para já, e para sempre, quero dizer obrigada por esta casa bonita que estamos a construir. e quero dizer obrigada, mil vezes obrigada, à vida por me ensinar a esperar, por saber como cuidar sempre e por pôr no meu caminho gente tão talentosa, tão luminosa e tão bom coração.

*


o que de verdade importa*