sexta-feira, 26 de agosto de 2016

desta semana*


Só uma coisa nos pára em Setembro. Chama-se Odeceixe e combina com desligar, respirar, sossegar, recuperar, abraçar, estar... durante 10 – maravilhosos e tão desejados - dias de férias.
Depois, há um novo site, um novo blog, um novo projecto-bonito, os meus workshops, um calendário de Coaching já quase todo preenchido até Dezembro, voltar ao Funchal, dar um salto a Londres, terminar o ano em casa.
Pelo meio a vida de todos os dias. O regresso às aulas, a 1ª classe (1º ano – não me habituo a isto), o 8º ano, a entrada na Faculdade. A ginástica rítmica, a natação, o futebol. Os lanches, os almoços, as visitas de estudo. Os horários e a logística. Ir buscar, ir levar, ouvir, abraçar, ser, estar.
Pela frente o último workshop. Pela frente os últimos dias, as últimas horas de trabalho. 
Cá dentro trazemos o coração recheado de expectativas com o cheiro do sul que nos diz tudo, com o azul do mar que leva o que não faz bem e traz tudo o que precisamos, com as pessoas que nos esperam, com o tempo a seis que nos aproxima mais de nós, com o stress que deixamos para trás, com os fios que nos ligam ao que realmente importa.
Só uma coisa nos pára em Setembro. Chama-se Odeceixe e combina com amor. Como sempre. E para sempre.

| coisas e pessoas que trouxeram mais sol à nossa semana |


» créditos imagem | unsplash

espírito de sexta-feira ❥

{exagerar no amor, no riso, no sol e na vontade de ser muito feliz}

» créditos imagem | klemens white

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

o que se ouve, o que se lê & o que se vê por aqui ❥

No início do verão cada um de nós escolheu três livros para ler. Um para cada mês. Há dois leitores compulsivos cá em casa e dos três escolhidos já escolhemos mais três. Ainda tivemos a sorte de nos terem oferecido mais uma mão cheia de outros tantos bons livros, e é difícil explicar por palavras o prazer que sentimos cada vez que repetimos ‘’precisamos de mais espaço para arrumar livros.’’
Todos os dias há música na nossa casa – sei que me repito. E não há um dia que um de nós não descubra um artista novo, um álbum que nos prende, uma música que ouvimos em repeat. Somos cinco music lovers e tirando o Martim, que ainda não se dedica à boa arte de descobrir música boa, os outros quatro têm sempre tanta música para partilhar.
Não temos visto muita televisão, mas vimos todas as boas estreias no cinema (continua a ser um dos programas preferidos de todos), e descobrimos novas séries que se juntam às duas favoritas (do momento): Suits e The night of.  
Como as coisas boas são para se partilhar, fica uma espécie de lista dos nossos favoritos.

# livros

#músicas


# séries e filmes

» créditos imagem | j.moran 

de pé, sem perder a fé*

Vive apaixonada pelo amor e pela vida. Traz no sorriso a espontaneidade típica das pessoas felizes. Olha para a frente com a força de quem sabe onde quer chegar, olha para dentro com a humildade de quem reconhece ter ainda tanto para limar. Sabe de cor o verbo recomeçar e dança com ele sem nunca se cansar. Não quer tudo de uma vez e não quer nada que não lhe exija bravura. Acredita no amor-para-sempre e na verdade-acima-de-todas-as-coisas. Tem no sol o alimento para a alma, na música um ponto cardeal, nos abraços a cura para tudo e num sincero ''estou-aqui-para-ti'' a saída de  emergência para dores maiores.
Um dia disseram-lhe que o tempo é uma bússola preciosa que exige escolhas. Confiou.
Para ela a gratidão nunca será um lugar estranho. -

isto ❥


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

saudades de ser feliz aqui*





Saudades de voltar à ilha branca, a Chora e Ano Mera. Saudades de me perder de amores pelas casinhas de portas azuis e varandas floridas, de fotografar todas as vielas cheias de buganvílias e moinhos de vento. Saudades de comer moussaka, das saladas cheias de feta e sésamo torrado, de sobremesas com o iogurte mais famoso do mundo, muito mel e amêndoas, saudades de um pôr do sol único e de um azul do mar sem igual. Saudades de entrar nas muitas igrejas pequeninas e agradecer a sorte de poder conhecer um país com lugares tão bonitos. 
Já fui duas vezes à Grécia e podia voltar duas mil. Adoro-a de paixão, e voltei a suspirar de amores e saudades ao acompanhar a viagem da Jacqueline a Mikonos, nestas maravilhosas fotografias.

» créditos imagens | mikuta em mikonos

tão isto, que podia ser sobre nós [meu Amor]*

«O amor quando é amor fica. Fica e dá a mão, fica e apanha os cacos todos, fica para dizer que o amanhã vai ser melhor ainda que minta, fica porque se veste de esperança. O amor quando é amor precisa de ver o outro sorrir e é só assim que se respira fundo, bem e sempre. Precisa de sentir que é responsável por parte da felicidade do outro, precisa de surpreender, precisa de abraçar, às vezes precisa só de estar perto ainda que não diga nada porque é no silêncio dos que se amam que se descobrem os maiores segredos do mundo e se resolvem os maiores mistérios da vida. 
O amor quando é amor não inveja, não se aflige com a grandeza do outro, admira-o como uma obra de arte, rega-o e fica a vê-lo crescer, por vezes fica na sombra do outro, não porque tenha menos luz mas porque no amor há dias em que um descansa debaixo do outro. O amor quando é amor aplaude o outro, não se importa de ser espectador dos seus feitos e testemunha das suas conquistas. O amor quando é amor beija-se na boca, come-se na pele, sente-se nos dedos, entra no nariz e deixa sabor na língua.» 

| in, o amor quando é amor - carolina deslandes | 

# cuida-bem-do-teu


terça-feira, 23 de agosto de 2016

gostamos de fotografar a vida*




Nos caminhos por onde nos leva, nos lugares que nos fazem bem, nas pessoas que guardamos dentro, nos abraços que nos ligam, nos sorrisos que nos dão certezas, e na fé de ter no amor, sem filtros nem edição, a nossa maior religião. -

* voltamos sempre aos lugares onde somos felizes | praia [secreta] de melides . 2016