domingo, 10 de dezembro de 2017

ao domingo, a mãe faz*

acordar com a luz do dia. ouvir no quarto ao lado a minha voz preferida, cheia de uma vontade contagiante de aproveitar cada segundo da vida. sentir conforto e paz na mesma rotina de sempre. é domingo e há Brunch, como todos os domingos. há as panquecas que eles sonham a semana toda, há bolo de chocolate e uma tigela cheia de bagos de romã. há chocolate quente e café fresco. há pão quentinho e compota caseira. há música e tantas luzinhas. há a hora em que cada um acorda, na liberdade boa da preguiça de domingo. há a confusão, muitas mãos à mesa, coisas que passam de um lugar para o outro, migalhas de pão e de bolo, leite entornado na toalha, o Sal à espera da sua torrada, planos para o dia que se quer sem pressas. 
de todas as receitas que crio para ser feliz, esta é a que nunca me falha.

# as nossas panquecas deste domingo

2 bananas maduras (esmagadas)
1 iogurte grego
2 ovos
1 chávena (mal cheia) de leite de amêndoas
1 c. de chá de fermento em pó
1 chávena (mal cheia) de farinha de côco


Sigo sempre o mesmo processo e na hora de servir gosto de acrescentar iogurte, mel e fruta fresca.

10 | resumo de domingo(s)


sábado, 9 de dezembro de 2017

tão isto, tão a força em que acredito*

«Não se iluda. A vida do lado de cá é tão estressante quanto a sua. Quatro filhos, marido, casa, supermercado, contas para pagar, levar e buscar na escola, na natação, no futebol. Administrar emoções a flor da pele, viagens de trabalho, noites em claro, vontades, brigas, birras, choros, o combo completo, que tem em todas as famílias. Buscar o equilíbrio era a minha única opção. Ou era isso ou era enlouquecer, ceder aos gritos, a falta de paciência, a desconexão com meus filhos.
E antes que você ache que o papo ficou hippie demais, te digo: esse equilíbrio não tem nada de zen e pelo tanto de esforço que demanda, está mais perto de um cross fit do que uma meditação em campos de trigo. Manter o equilíbrio dá trabalho e exige técnicas. É um esforço diário, até que uma hora vira hábito. E aí, as coisas vão se suavizando, sem jamais serem perfeitas, porque esse lugar é inatingível. Entendendo isso fica mais fácil cobrar menos de mim e dos meus filhos.
Eu precisei buscar o equilíbrio na minha fala, nas minhas atitudes e no meu comportamento não para sair bem nas fotos do instagram, porque não dá para sustentar alegria de mentira, mas porque meus filhos vão crescer e desejo que eles queiram sempre voltar para casa, esse lugar mágico onde nossos medos, dores e amores são sempre respeitados e acolhidos.»

9 | foco no Bem*



sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

desta semana*

#1. este final de ano está a ser desafiante. o meu mês querido tem pedido mais coragem. tem pedido um esforço final neste fecho de ciclo. tem pedido muito fôlego no peito e muita força para assumir que ser quem somos de coração é o que de verdade importa.

#2. aniversários, jantares de Natal, workshops, viagens ao Porto, organizar agenda de 2018, receber mais projectos, mais pessoas que vão fazer parte da nossa Academia, tentar descansar o máximo possível, respeitar os sinais, fazer muita ginástica para cumprir tudo o que temos em agenda e manter o foco e a cabeça por cá, porque o coração já anda há muitos dias em contagem decrescente para o regresso a casa.

#3. a resolução que poderá alterar a nossa vida é aquela que fazemos dentro de nós, no nosso íntimo. porque se metermos na cabeça que queremos mudar, iremos conseguir mudar, fazendo por isso. não é preciso ser num tempo definido, muito menos esperar por um ano novo. hoje é sempre o melhor dia.

8 | espírito de(sta) sexta-feira










» imagem | yellow wish

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

keep it simple*


inverno rima com branco. rima com vestidos compridos de lã, com calças forradas a pêlo, com collants grossos e quentes, com camisolas com golas grandes, com muito xadrez, com casacos de pêlo, com as minhas botas preferidas, com ténis para dias em que não chove, com grandes cachecóis, com gorros e com o estilo de seis pessoas pessoas que, para mim, fazem sempre as melhores escolhas.
esta semana:

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 

» créditos imagens | klemens white para mikuta

7 | mantra para todos os dias*



quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

voltar a casa ❥

vive ali o fio invisível que me liga ao melhor de mim. vive ali o ano novo que começa no dia em que chego. vive ali o lugar feito das pessoas que me dizem tudo, das mãos que me acolhem, dos olhos que brilham mais, das palavras que me são colo, da certeza de ser sério este amor, de ser tão séria esta dádiva infinita de quem me faz (muito) bem. 
posso mudar tudo. posso mudar de hábitos, de rotinas, de casa, de cidade, de país. posso mudar de vida, de cor preferida, de amores e de humores. mas de raízes nunca. de essência nunca. e de pessoas que estão na vida para proteger o meu coração, nunca.  
[falta pouco.]

6 | das perguntas essenciais*