sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

lista para o fim-de-semana ❥

"Há quem confunda a alegria com a felicidade. A alegria não se parece com a felicidade, a não ser na medida em que um mar agitado se parece com um mar plácido. A água é a mesma, apenas isso. A alegria resulta de um entorpecimento do espírito, a felicidade de uma iluminação momentânea. O álcool pode levar-nos à alegria - ou um cigarro de liamba, ou um novo amor - porque nos obscurece temporariamente a inteligência. A alegria pode, pois, ser burra. A felicidade é outra coisa. Não ri às gargalhadas. Não se anuncia com fogo de artifício. Não faz estremecer estádios. Raras são as vezes em que nos apercebemos da felicidade no instante em que somos felizes."
- José Eduardo Agualusa
*

desta semana*

numa semana mais curta, em que deixamos o sul para trás e agradecemos aos nossos queridos parceiros de viagem, voltamos a fazer as malas e voamos até à ilha do meu coração. juntamos trabalho, o meu livro e umas mini-mini-férias.
resumir esta semana é resumir um bocadinho da vida:
todos os dias podemos desacreditar ou acreditar na humanidade. depende do que vemos, do que lemos, do que ouvimos, de quem conhecemos, dos lugares por onde passamos, das coisas e das pessoas que nos acontecem, mas, acima de tudo, do filtro com que escolhemos olhar para a vida.
todos os dias podemos desacreditar ou acreditar que as batalhas que importam, ganham-nas os de bom coração. porque depois de tudo, de bom e de mau, recomeça tudo. o dia, a esperança, e nós mesmos. 

» créditos imagem | margo hupert 

espírito de sexta-feira*




quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

keep it simple*

um estilo prático e eclético. misturar peças clássicas com ténis. brancos e tons terra. ser simples sem ser simplista. 
a Nina é uma das mais bonitas e inspiradoras bloggers que conheço. é simples e absolutamente magnética. conjuga, como poucas, bom gosto com conforto. adoro-a.
*
ideias para o mesmo estilo:
1 | 2 | 3 | 

[amén] ❥



quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

o que se ouve, o que se lê & e o que se vê por aqui*

«Somos todos uns sentimentais e por isso demoramos no que nos dói. Temos o choro fácil que dá ou não dá em lágrimas, guardamos as dores cheias de pormenor enquanto as felicidades ficam por ali, confusas, com algumas caras, alguns sons, incertas e vagas. Lembramos os sapatos que calçávamos quando alguém morreu, a hora da notícia, o programa que passava nesse instante e até as vergonhas que pensámos.  Folheemos as páginas do riso e pouco encontraremos, algumas frases, momentos caricatos, elementos de uma paisagem. Pouco e mal contado, estávamos distraídos, demasiado ocupados na felicidade para lhe fazermos o retrato. 
Somos tolos e sentimentais, temos arcas cheias de mágoas que não esquecemos e que abrimos a todo o momento a ver se ainda nos doem, e doem sempre.  
Descuramos o arquivo do bem que apesar de tudo nos vai acontecendo.
- Nuno Camarneiro, Debaixo de algum céu.

música

livros

filmes | documentários

» créditos imagem | mrs ostrovia

não há razão para não acreditar*




terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

quando é dia 14 de fevereiro todos os dias*

o b r i g a d a.  ❥

tudo está certo ❥

nas variáveis infinitas da minha vida, tu és o meu recomeço maior. és a volta de 180º. és a seta do caminho, o sentido para o que (me) faltava. és a certeza de que, para ser feliz, nem tudo tem que bater certo. e que, ainda assim, tudo está certo. porque (como diz uma muito querida amiga) todo o amor está certo. e o amor  transforma todos os errados em certos. mesmo que, tantas vezes, tenhamos que passar pelo pior para chegar ao melhor.
de todos os lugares do mundo, soubeste como encontrar-me. e de tudo o que és (e tu és tanto) deste-me o melhor de ti. sempre. 
gosto da vida ao teu lado. gosto mesmo muito da vida ao teu lado. gosto da sorte que temos. gosto das rotinas que temos. gosto das coisas boas que nos cercam. e gosto muito desta vontade-bonita que fazemos nascer todos os dias, de nos queremos cuidar, abraçar e proteger, um ao outro. - ❥-

sobre o [meu] amor-maior ❥




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

| d e s c o m p l i c a |


nas coisas, nos dias, nas pessoas, e nas voltas da vida, descomplica. guarda em ti este verbo fundamental. pratica-o como um mantra que te ajuda a sair dessa roda de hamster. respira-o como o ar essencial para te afastares o suficiente quando vires tudo a desfocar. usa-o como verbo-remo que te ajuda a atravessar as pontes do medo. e lembra-te dele nos dias em que parece estar tudo fora do lugar, em que quase podes jurar que nada está a acontecer, em que o teu coração diz sim, a tua cabeça diz não, e tu dizes: não sei.
há sempre (bons) motivos para seguir em frente. há sempre boas razões para agradecer o que tens. e há sempre duas formas de viver a vida: escolhe a que te ensina a conjugar o verbo descomplicar.

↞ ↟ ↠

» workshop (re)começa »
madeira – 18 fevereiro
lisboa – 25 de fevereiro
ovar - 4 de março
aveiro - 5 de março
londres – 19 de março
» brunch club »
(tema: praticar o desapego)
26 de fevereiro
» retiro »
(re)começa | segue o teu coração

sul – 24, 25 e 26 de março (apenas dois lugares disponíveis)
norte - 7, 8 e 9 de abril


a minha (boa) gestão do tempo
(curso intensivo)
braga - 5, 6 e 7 de maio

sessões / consultas / coaching individual

 todas as terças e quintas-feiras, das 10:30 às 19:30 | presencial - lisboa | ou via skype


informações e inscrições: 

✉ | asnoveacademia@gmail.com 

 91 224 65 59


» créditos imagem | unsplash

do lado esquerdo do peito | do lado certo da vida*





domingo, 12 de fevereiro de 2017

meu algarve ❥

escrevo este texto sentada na mesa da casinha linda que nos recebeu este fim-de-semana. alterámos os planos de regresso e ficamos mais uma noite. respiro fundo e agradeço profundamente por estes três dias. agradeço a Quem cuida para que tudo se alinhe. agradeço este beliscão que me dou todos os dias para acreditar que a felicidade está sempre a uma escolha de distância.
foram muitos quilómetros e todos valeram a pena. porque numa pequena fuga à rotina [mesmo que com trabalho pelo meio] sabemos guardar no lugar certo todos os tesouros que estes dias nos trouxeram: as lições que aprendemos e as pessoas que abraçámos. 
obrigada por tanto, meu querido sul.

resumo de domingo(s) ❥


sábado, 11 de fevereiro de 2017

sobre o dia de hoje*

tanta coisa que podemos juntar dentro de nós num só dia. tanto que a vida pode mudar quando nos lembramos porque gostamos tanto de alguém. o quanto o mundo faz sentido quando temos a sorte de ver a vida acontecer devagarinho. e que sorte a nossa quando a percebemos do nosso lado mesmo com todos os caminhos que não são rectos. o privilégio que é ver um filho dormir sereno e agradecer essa leveza que cresce dentro do peito. 
tanta coisa que podemos juntar dentro de nós num só dia. mas é o que em nós é indizível que me faz ter a certeza deste chão que piso, e destes planos-sem-planos que a vida tem para nós. - ❥-

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

lista para o fim-de-semana ❥


« [Eu e a vida]
Sempre nos demos bem. Nunca disputámos brinquedos, nunca lhe gritei porque tinha fome, nunca lhe chorei porque arranhei o joelho, e jamais lhe pedi que se marcasse com um ponto final, porque sempre fui mulher de vírgulas.
 E lá íamos nós, eu e a vida, sempre seguras, sempre satisfeitas, sem nada a pôr nem a tirar. Ora a vida que me foi dada, deu-me a mim, também, muito do que tenho. Deu-me uma casa onde o chão se desenha em calçada, e os prédios se pintam em tons alegres que se preenchem do fado cantado com corpo e alma. Deu-me uma família que se alarga para além do sangue, dias azuis e mergulhos no mar, pastéis de nata, noites estreladas, bolas-de-berlim nas mãos, areia quente nos pés, pores do sol para acolher memórias, e manhãs de inverno para abraçar o dia. Mas acima de tudo, Quem me deu a vida, deu-me, também, a escolha de a fazer viver.»

*


» créditos imagem | paulina ostrowska

desta semana*

parte I – do princípio
todos precisamos de alguém na vida que nos olhe nos olhos, nos segure nos ombros, nos dê um beijo na testa e nos diga, com a maior certeza do mundo: 
não importa o que és ou como és. não importa que nome têm os teus erros, em que morada vivem os teus medos, quantas vezes os teus olhos se enchem de mar, se são muros ou montanhas que te assustam.
 eu, vou estar sempre aqui, ao teu lado.

parte II – do meio
enquanto o mundo for como nós o conhecemos, vai sempre existir quem chegue para te dizer que o fizeste é certo ou é errado [na maioria das vezes só chegam para dizer que é errado, e que te avisaram, e que se estava mesmo a ver que ia dar nisto...].
mas sabes que mais? respira fundo. porque pouco importa. dificilmente essas pessoas vão querer saber se tudo o que fizeste era tudo o que podias ter feito. dificilmente essas pessoas vão conseguir sequer calçar os teus sapatos, sentir as pedras do teu caminho, contar quantas vezes caiste e te levantaste logo a seguir, conhecer o nome das tuas dores, ouvir o que diz o teu coração.e isso, e só isso, é que importa saber e viver. verdadeiramente. o resto, é barulho. 

parte III - do fim [o único plano é (só) respirar fundo]
a vida ensina-te [às vezes à bruta] que há finais que vão ter mesmo que acontecer, para que outros começos possam ter lugar. e ensina-te [às vezes à força] que quando tudo parece dar errado, coisas boas acontecem. e nunca teriam acontecido se tudo tivesse dado certo.  
# confia

» créditos imagem | all that is she