sexta-feira, 14 de junho de 2019

a contar os dias *



para voltar.

resumo da ( minha ) vida *

é da minha natureza persistir. e é da minha natureza conseguir. nas falhas, é da minha natureza agradecer. e nas quedas é da minha natureza (sor)rir depois de chorar. este é o ciclo. que além de me manter do lado certo da vida, define quem sou. foi uma semana de muitos recomeços. e a única certeza boa que guardei comigo foi esta:
de todos os amuletos do mundo, o Amor é sempre o que me traz mais sorte. 
[respiro fundo] 
# no fim corre sempre bem. 

matemática da vida *



quinta-feira, 13 de junho de 2019

das alegrias pequenas *


obrigada, Vida *

agradeço todos os dias a generosidade da vida comigo. agradeço por tudo o que me dá, por tudo o que me ensina, por tudo o que temos aprendido juntas. confio no tempo que me pede quando é só o tempo que pode resolver. acredito quando me mostra que - por muito difícil que esteja a ser - no fim tudo dá certo, tudo é a meu favor. e então, peço à vida muito pouco. peço que em todos os planos que fizer para mim inclua as pequenas alegrias que enchem o meu peito - e o meu mundo - de amor e luz:
- o cheiro a pão acabado de fazer, água quente na pele num dia muito frio, sol na cara e vento nos cabelos em todas as estações do ano, um abraço de paz a equilibrar o meu mundo, o riso feliz do meu filho e a serenidade do coração-casa do meu-Pedro-para-sempre; as mãos dadas das minhas pessoas-sol e esta coragem-valente que me belisca e me empurra todos os dias para fazer a mesma escolha: ser feliz. um dia de cada vez. 

repito como uma oração *

e agradeço-lhe pela alegria que traz ao meu coração.

quarta-feira, 12 de junho de 2019

agradecer *



a luz bonita das minhas coisas simples.

ciclos *

agarro em tudo que me acontece (de bom e de mau) para escrever sobre a vida, sobre o sentido da vida, sobre a diferença (boa ou má) que podemos fazer na nossa vida e na vida dos outros, sobre aquilo que nos move e aquilo que de verdade importa. agarro em todos os que comigo se cruzam (os bons e os maus) para depurar o que guardo no coração, para me focar nas alegrias pequenas e renovar a esperança, para repetir a mim mesma e aos muito-meus que o Bem é sempre um caminho mais luminoso. e que é ele que dá sentido à matemática infalível da vida: nem sempre vais conseguir aprender a fazer as pazes. mas deves sempre tentar aprender a estar em paz. 

sempre, sempre, sempre *


terça-feira, 11 de junho de 2019

tudo *


do que importa. mesmo. *

há coisas pequeninas que, na vertigem dos dias, nos vamos esquecendo de dizer e fazer. dar um abraço sem pressa, guardar tempo para ouvir – com o coração – um filho, agradecer, pedir protecção para o que não vemos, mas sentimos, dizer às pessoas importantes da nossa vida o quanto o são, não deixar nada de bom por dizer ou por fazer. olhar o nosso-pequeno-mundo nos olhos e dizer, letra por letra, tudo o que de bom é para nós.
porque os silêncios nem sempre dizem tudo. porque a felicidade não é amanhã, é agora. porque as melhores coisas da vida são - e serão sempre - as pessoas que amamos. e porque, quando nos distraímos, a vida já passou.

pequeno lembrete da vida *


segunda-feira, 10 de junho de 2019

resumo da vida *


se as coisas não avançam por nada, se tens sempre uma desculpa para tudo, se nunca há tempo para te ouvires, para te abraçares, para reparares em ti... pára. se a chave não gira e as portas não abrem, se é sempre inverno (em ti) mesmo quando chega Junho... pára. pára mesmo. deixa de insistir. larga a mão. pensa mais em ti.  às vezes, a tua vida precisa mesmo de dar uma volta de 180º para te ensinar o caminho de regresso aos lugares (e às pessoas) certos.

sigo a acreditar, todos os dias *


domingo, 9 de junho de 2019

todos os domingos*


sobre tudo aquilo em que acredito *

«Viver uma vida feliz não é uma questão de sorte. É uma questão de escolha. E da coragem que é preciso ter para se escolher sempre o que se ama. E mais ainda, para se largar o que dói. Tenho uma seta que sigo muito: a da alegria. Insisto em tudo o que me gera bem-estar. O que me eleva o espírito. Esses momentos são pequenas ou grandes montras que nos vão encaminhando para os lugares emocionais certos nas nossas vidas. Para mais tarde darmos por nós e estarmos a viver uma vida de sonho. Só porque nos aventurámos a seguir o coração. Todos os dias. Através dos pedaços de alegria que ele nos foi lançando para que pudéssemos compreender que para seguir é preciso confiar e insistir, no que nos faz realmente bem.» 

bárbara leão de carvalho, sigo o meu coração |

self-care *


sábado, 8 de junho de 2019

devo a mim mesma *

a força de seguir em frente sem olhar para trás. a leveza de não querer mal e de não guardar mágoa. a coragem de fechar ciclos, de encerrar capítulos, de guardar o que foi bom e de eliminar tudo o que me fez mal. devo a mim mesma a consistência, a coerência, a minha verdade e minha forma de estar na vida. devo a mim mesma ser bem resolvida e positiva e leve. e ser feliz um dia de cada vez, de queixo levantado, de passos firmes e de bússola calibrada pelo que levo cá dentro. 
devo a mim mesma a prática da aceitação. de abraçar o fim das pessoas e das coisas que cruzaram o meu caminho e que - na hora certa - deixaram de fazer parte da minha vida. devo a mim mesma o não apego. o não complicar. e o não forçar.
devo a mim mesma o treino intensivo do verbo confiar, do verbo recomeçar, do verbo amar(me). devo a mim mesma a alegria de dar sentido aos meus dias. e o foco no que, e nos que, (só) me fazem bem.

ᨆ 
com a idade (e a vida) aprendi a apenas combater o bom combate. aquele cujo preço da vitória não seja a minha paz.

sobre amor *


sexta-feira, 7 de junho de 2019

lugar preferido ( para respirar ) *


amor *


a primeira coordenada, a rede de segurança em todas as fases de trapézio-sem-rede, o ponto preciso onde tudo começa e o ponto exacto onde tudo termina, a razão certa nos dias sem razão, a certeza doce nos dias sem certezas, a janela que se descerra todos os dias, de onde se vê o sol e se deixa entrar a luz, as viagens que fazemos sem sair do lugar, o entendimento certo do silêncio que se faz colo, a mão no ombro que tranquiliza, segura, ampara, os abraços que foram feitos à medida, o peito que é a morada constante, as mãos que são o mapa mundo, o sorriso que se abre para nos iluminar, o fio condutor que demarca a maior constância da nossa vida: «mesmo que nos falte o universo inteiro, nada verdadeiramente nos falta.»

respirar ( fundo ) *


quinta-feira, 6 de junho de 2019

tudo *


um dia aprendes *

um dia, aprendes a importância de recuar. de dar passos atrás para medir a que distância estás de ver o mundo melhor, a que distância estás de ti, das tuas verdades, das tuas pessoas-essenciais, do que te move e do que te apaixona.  um dia, aprendes a importância de interiorizar e praticar o que realmente importa na vida: o que de bonito carregas dentro de ti e as pessoas-de-bom-coração que caminham ao teu lado. um dia, enches as mãos de sol e de esperança, renovas-te no mar que te entra alma adentro, seguras com força este leme que é a tua vida e repetes para ti mesma até saberes de cor, o quão grande é o lado de ti que acredita em finais felizes. ( infinito )

foco no que importa *