sexta-feira, 23 de junho de 2017

lista para o fim-de-semana ❥

«Uma luz qualquer que está sempre. Uma luz qualquer que se alimenta do invisível e do indizível. Do efémero que é um paradoxo porque persiste afinal. Uma luz que se fosse verbo seria um gerúndio. Um exercício contínuo de vá lá econtinua e mais um bocadinho e outra vez, tenta/acredita outra vez. E sempre, sempre, aquela frase que ficou não se sabe de onde: também isto vai passar. Tudo vai. Com o vento. Com a água. Com o tempo. O que nos eleva e nos exalta. O que nos atira ao chão ou nos deixa para trás. Cada uma das nossas alegrias esfuziantes e sonoras. Cada um dos silêncios. Os que compreendemos e que não fazem barulho cá dentro. E os que são lugares cheios de perguntas sem respostas porque às vezes é mesmo assim: não há resposta nenhuma.»

*

desta semana*



#da dor dos outros que é nossa

foi estranho seguir em frente depois da tragédia que aconteceu em Pedrógão Grande. foi estranho continuar com a nossa vida, com as nossas rotinas, com os nossos sonhos, com os nossos planos, com as coisas de todos os dias, quando na vida de tantas pessoas o mundo desabou e não voltou mais a ser igual.
ninguém consegue sentir as dores que os outros sentem. mas todos podemos ajudar a curar, a cicatrizar, a dar a mão para levantar.

# das batalhas que se ganham com silêncio

todos nós enfrentamos lutas e batalhas que ninguém sabe. todos nós temos dias em que sorrimos por fora e dói tudo por dentro. todos nós temos medos, montanhas e fantasmas para superar, guerras no lado de dentro que nos fazem doer mas que, também, nos fazem crescer.
todos nós temos dias em que a única coisa que precisamos de ouvir é silêncio. e respeito.
a história de cada um não é a história de todos. ponto final.

# tantas  vezes o óbvio é tão simples que (nos) confunde.

«O fim de uma viagem é apenas o começo de outra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na primavera o que se vira no verão, ver de dia o que se viu de noite (...)
É preciso voltar aos passos que foram dados, para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre.» | josé saramago | 

» créditos imagem | her simplicity

espírito de sexta-feira*

quinta-feira, 22 de junho de 2017

para ti que estás a recomeçar*


junho de 2013. 
naquele dia tracei aquele que seria O plano. tive a ''sorte'' de ter ao meu lado as melhores pessoas.  juntei certezas, sacudi nuvens cinzentas e avancei. lutei tanto, mas tanto para chegar aqui. conheci-me no melhor e no pior. encontrei-me. acreditei em mim, confiei em mim, inspirei-meno caminho que fiz até aqui. 
em muitos momentos, em que nada parecia acontecer, optei pelo silêncio. a vida ensinou-me que reclamar do tempo, da falta de tempo, dos problemas e das pessoas más não me leva para a frente. e que quando não sei o que fazer, devo não fazer nada. o verbo certo chama-se esperar. a vida leva, mas a vida também traz.
e então, quando tudo estava (ainda) meio em desequilíbrio, aprendi que somos nós que precisamos de ser o nosso ponto de partida, o nosso recomeço. aprendi, também, que as dores precisam de ser respeitadas, entendidas não como um estado, mas como um processo. há mudanças que não são fáceis, mas precisam de ser feitas.   
junho de 2013. e o melhor estava mesmo para vir. - -

» créditos imagens | unsplash

amén*






* nem agradar a todos.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

keep it simple*

verão e férias. calor e praia. ir e desligar. praticar o não-fazer-nada e deixar a leveza entrar.
as nossas férias deste ano começam nas [m  a r a v i l h o s a s] ilhas dos Açores.  juntei trabalho (este workshop) e a apresentação do meu querido livro, convoquei a família, disse sim a um convite muito especial, e na hora de fazer as malas só quis pensar num verbo: d e s c o m p l i c a r .
túnicas, kimonos, vestidos, saias, calções. roupa muito, muito leve e a condizer com o espírito dos próximos dias: gratidão!
 *
boas ideias que combinam com a estação mais azul do ano:

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9

» créditos imagem | sincerely jules

21 de junho ❥

verão. verão do meu coração. verão da minha leveza. verão da minha alegria. 
ensinas-me a escapar ao planeado, ao óbvio, à agenda rígida dos dias, à pressa não se sabe de quê e à urgência que não deixar focar no que de verdade importa. apontas-me o caminho dos dias azuis, da luz mais bonita do entardecer, do ir sem medo das subidas ou das curvas. mostras-me como viver com menos e sentir mais. desafias-me a ter na alegria e na simplicidade as cúmplices de uma estação inteira. e contas-me em segredo como viver com elas e por elas no absoluto, de coração aberto, com a certeza em punho de que todos os dias são feitos para serem bem vividos, porque a felicidade está apenas e só naquilo que nos acrescenta vida.
verão. verão do meu coração. verão da minha leveza. verão da minha alegria.
contigo respiro muito melhor. e todos os anos volto a acreditar que és muito mais do que a minha estação preferida. és a minha forma preferida de estar na vida.  

terça-feira, 20 de junho de 2017

parar*

é o momento de parar, de virar a ampulheta ao contrário e (só depois) voltar a pôr a vida a andar. é o momento de não duvidar que a força vai chegar, que este mar que trazemos nos olhos vai ajudar a curar. é o momento de não duvidar que o coração vai voltar a acreditar, que a fé nos vai resgatar.
porque em todo o caos, em toda a tormenta, em todos os caminhos confusos haverá sempre uma pequena esperança a que nos podemos agarrar. e o coração a bater, pronto para o que a vida trouxer, é a maior prova de que no mundo nem tudo é a perder. 


» créditos imagem | unsplash

sobre insistir, persistir e não desistir*




segunda-feira, 19 de junho de 2017

há sempre razões para acreditar*

às vezes é preciso ir muito longe para se chegar mais perto. é preciso seguir em frente para voltar a acreditar que vai dar certo. às vezes é preciso aprender a deixar ir e é preciso ter força e coragem e oxigénio para desfazer verdades absolutas e abrir o coração para o que [de bom] há-de vir.
às vezes é preciso deixar que seja a vida a refazer o nosso mapa do coração e que seja ela a fazer planos para nós. é preciso dizer não sem sentir um peso no coração. é preciso aprender a aceitar que é bom sermos nós em primeiro lugar.  é preciso acreditar que há [e haverá sempre] razões para acreditar, razões para respirar, razões para ter esperança e não desistir [nunca] de lutar.

↠ w o r k s h o p s
às 9 @ academia
j u n h o
 workshop descomplica
dia 24 – Açores

j u l h o
 workshop descomplica
dia 2 – lisboa
dia 8 – porto
dia 9 – aveiro

᠉ workshop recomeça
dia 15 - lisboa

 retiro ‘’mindfulness & love yourself’’
norte | 21, 22, 23

᠉ retiro sul ‘’mindfulness & love yourself’’
sul | 28, 29, 30, 31

a g o s t o
᠉ coaching com adolescentes
lisboa - 5 e 6 de agosto
porto – 19 e 20 de agosto

mantra para todos os dias*