domingo, 4 de dezembro de 2016

sábado, 3 de dezembro de 2016

tão isto, que podia ser sobre mim*

‘’Existe um profundo silêncio dentro de mim. Um silêncio imenso e cheio de paz. Para ter acesso a ele, é preciso ficar quieta e um tempo de silêncio real. Às vezes horas. Depois de ter lá chegado, porque é um estado que se agarra, toda a vida flui e parece fácil. Como se afinal tudo sempre tivesse sido fácil e harmonioso. É como se houvesse um outro mundo, acima deste, a que se pode ter acesso. Os passos que dou, ou as palavras que posso proferir, saem com doçura e parecem contagiar o ambiente à volta que, por sua vez, e por isso mesmo, me devolve ainda mais harmonia. Dentro de mim, para aprender a receber as bênçãos sem ter medo de não as merecer, tento apenas repetir assim indefinidamente 'agradeço, agradeço, agradeço, agradeço, agradeço...' Se passo por um espelho, parece que tenho uma outra cara, mais de acordo, mais simples, mais nova. Às vezes engano-me, volto a fazer o que costumava, arranco por ali fora e perco o 'estado'. Mas como já sei que ele existe, posso a qualquer momento que queira, fechar os olhos, ficar em silêncio e recomeçar.’’ | marta gautier |

planos para o dia*

exagerar nas meias de lã e nas mantas quentinhas. exagerar nos mimos e no chá de limão com gengibre. exagerar nas panquecas de banana e no chocolate caseiro. exagerar na Netflix e nos abraços com amo-te muito. exagerar nas pernas e nas patas entrelaçadas no sofá, exagerar nas conversas e nos silêncios que unem. exagerar nas sestas e nos livros, exagerar na música e nas luzinhas de Natal. exagerar no exagero de ser feliz. exagerar neste intervalo que a vida nos dá para respirar fundo, para pôr em pausa os tornados dos nossos dias, para parar e nos voltarmos a encontrar, para nos lembrarmos de agradecer. e agradecer por tudo. o bom-muito-bom, e a outra parte: a que [hoje] não parece ser muito a nosso favor. mas que aquela voz - que nos fala baixinho - diz que será. e, confio, será mesmo. -

» créditos imagem | rural girl

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

lista para o fim-de-semana ❥

Este texto:
O balanço será sempre comigo. No foco das perguntas que fiz à vida, muito mais que nas respostas que ela meu deu. Na bússola calibrada pelo tempo que dei ao que de melhor acreditei que merecia. No mapa que teve sempre como quatro sentidos fundamentais *amar, agradecer, acreditar e confiar*. Nos abraços que dei, nas alegrias que partilhei, nos sorrisos que guardei, nas feridas que curei, nos gestos em que me elevei, nas fragilidades que transformei. 
O balanço será sempre comigo. Nos dias de simplicidade. Na leveza dos passos no chão que pisei. Na família e nos amigos que foram a promessa de sol  incondicional, na luz e na esperança que me levou ao colo quando me faltou a força e a fé em mim. No tempo certo de tudo.  -  | escrevi-o há 1 ano, vale para a vida inteira |

*
esta música | este livro | este presente de natal | este lugar | estas ideias para a casa | este meu-amor-maior

desta semana*

passou a correr. foi mais curta, foi doce, foi feita de luz e de pessoas de luz, e também foi turbulenta e com chatices para resolver, mas passou a correr. e até ao dia em que entro no A320 que me leva rumo aos Alpes mais bonitos da minha vida, vai ser sempre assim: semanas que passam a correr, eu a correr, a vida a correr, e o coração a correr, acelerado e em loop.
entre a árvore de natal que já brilha na nossa sala, os presentes de Natal que estão quase todos tratados, os muitos livros que assinei – às vezes ainda não acredito que os estou a assinar e a dedicar... – o meu Retiro-querido que  vai ser num lugar tão bonito!, o último Workshop-Brunch que esgotou num dia [obrigada a todas!] a organização do lançamento do meu livro - com duas pessoas muito especiais, que adoro de paixão e que vão ser o meu efeito calmante nesses dois dias, foi uma semana muito boa. mesmo com chatices, com contas para pagar, com pessoas assim-assim, com birras, atrasos, chuva, carro avariado, molhas, gripes, cansaço, muito cansaço, poucas horas de sono, poucas horas de Pedro&Sofia, às vezes pouca paciência, às vezes muito ruído, e muitas coisas para tratar, e muitas outras coisas que não sabemos como tratar e... a vida real de todos os dias. 
mas, na verdade, apesar do lado B destes dias de vida maluca, não a trocava por nenhuma outra. 

como diz aquela música: sou feliz e agradeço a vida que Deus me deu.

dezembro | 2 *

[coming home...-

» créditos imagem | her simplicity

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Missão Continente

 A Missão Continente é a marca que agrega todas as iniciativas de responsabilidade social do Continente. No âmbito da sua campanha de natal, a Missão Continente promove a saúde familiar através do apoio a Centros de Saúde de norte a sul do país.
Os Centros de Saúde a concurso, que apresentam os melhores projectos de intervenção comunitária, recebem o apoio. O valor deste prémio é angariado nas vendas dos presentes solidários da Missão Continente: as mantinhas (€4) e as bolachinhas (€3) à venda em todas as lojas Continente e no Continente Online, e também o valor recolhido através das chamadas de valor acrescentado (760 10 10 10). A Missão Continente doa 1€ por cada um dos presentes solidários vendidos.
Em 2015, foram doados mais de 378 mil euros aos 25 projetos vencedores apresentados pelos Centros de Saúde.
Como é que o Centros de Saúde se podem candidatar a serem apoiados pela Missão Continente? Anualmente, é lançado um concurso dirigido aos centros de saúde. As candidaturas decorrem normalmente até meados de outubro e os projetos são selecionados mediante avaliação de um júri especializado cujos membros pertencem ao Advisory Board da Missão Continente e mediante votação online por parte do público em geral. Os resultados são apresentados no 1º trimestre do ano seguinte. Isto é, os projetos vencedores agora a concurso serão conhecidos no 1º trimestre de 2017.
Se puderem, este Natal ofereçam presentes solidários, ofereçam presentes Missão Continente.

um tempo de luz*

dezembro. o mês que nos obriga a uma intervenção interior. o mês que nos pede para ampliar o coração e nos faz acreditar que nele cabe(m) muito mais. o mês que nos mostra que é no silêncio que encontramos todas as respostas que precisamos. o mês que nos reforça a fé e que a multiplica na busca da paz como norte. o mês que nos aproxima de um tempo de luz, de um tempo maior, de um tempo de poder fazer do (nosso) mundo um lugar um bocadinho melhor. o mês-balanços, o mês-desejos, o mês-fim das 366 voltas que demos. 
dezembro. o mês que ainda dá tempo. o mês da intervenção interior que [pelo menos uma vez no ano] todos precisamos sentir.  - -

» créditos imagem | a joyful journey

dezembro | 1 *

bem-vindo, meu mês tão bonito. -