quinta-feira, 1 de setembro de 2016

em setembro, (re)começa*

Decidiu o que quer. Acredita que pode ter, que merece ter, que é possível ser. Pede ao seu coração que tenha paciência. Que tenha fé. Que confie. Que entre um medo e uma dúvida sempre vença a coragem. Que quando [ele] sentir que deve deixar ir, entenda que isso não é desistir, mas apenas aceitar que há coisas [e pessoas] que não podem ficar.
Decidiu o que quer. E que a vida vai trazer. Que quando é para ser o universo conspira para acontecer [e que quando não é para ser também ele conspira, mas para nos proteger]. 
Não tem pressa. Não tem pressa nenhuma. Aprendeu que a cada intervalo de luta se deve bem-querer, bem-gostar, e bem-proteger. 
E repete para si mesma como um lema de vida e com a força de quem não desiste: 
ao meu lado (só) os que gostam de mim. e tudo, tudo, tudo no tempo certo da vida.  -