sábado, 27 de agosto de 2016

é sobre o fim de um ciclo*

É sobre as decisões que tomamos e que mudam a nossa vida para sempre. É sobre perceber que vai doer, que vai arder, mas que o que arde cura. É sobre acreditar na máxima de ficar sem o tecto para ganhar as estrelas [e agradecer]. É sobre as coisas [e as pessoas] que nos acontecem, as que nos fazem doer muito e que se vão embora... mas também sobre as certas, que chegam e ficam, que estão e permanecem, que amam no excesso e no defeito. É sobre aprender que a pergunta certa é para quê, e não porquê. É sobre a vaca púrpura, sobre o ponto morto, sobre a força da coragem, sobre as coisas que a vida me ensinou, sobre o prisma, sobre a matriz swot, sobre objectivos smart, sobre kiss, sobre descomplicar, sobre dar um valente grito e celebrar. É sobre deixar de estar a meio caminho e sobre perceber o que vai cá dentro. É sobre confiar, acima de tudo, no verdadeiro sentido das pontes que a vida nos obriga a construir. E é sempre e tanto sobre aprender a ser feliz. Sobre nunca, por nada, por ninguém, desistir de ser feliz.
.
É sobre os meus workhops, os meus coachings, o meu trabalho. É sobre o fecho de um ciclo. De um ano cheio de desafios. De muitos altos e uns quantos baixos, de centenas de pessoas que abracei, de centenas de sorrisos que guardarei sempre comigo, de centenas de histórias de vida que inspiram a minha todos os dias, de centenas de amigos que são a ponte que a vida, tão sábia, me obriga a construir.
É sobre confiar que todo o fim é um princípio feliz quando acreditamos que meremos o melhor. E é, sempre, sobre agradecer. Tanto. Sobre dizer e repetir de mãos juntas: obrigada, mil vezes obrigada a todos os que me ajudaram a viver este ano com o coração cheio de luz. 

[sou profundamente agradecida a Quem, aí em cima, cuida sempre de mim.]

» créditos imagem | unsplash